18
jun
10

A evolução de um ícone*

*O texto a seguir é uma tradução livre do original em Inglês retirado da página “feuilleton
Jean Hippolyte Flandrin (1809-1864) foi um pintor neo-clássico cujo tema da sensualidade esteve presente em sua obra. Flandrin produziu um dos quadros mais inspiradores para os artistas posteriores a ele: “Jovem sentado às margens do mar”.  Esse quadro foi pintado em 1836. É provável que tanto a simplicidade quanto a sobriedade dessa representação seja uma reminiscência da escultura clássica vista na cerâmica grega.
É provável que a primeira cópia de “Jovem sentado às margens do mar”, normalmente datada de 1900, representa uma imitação cuidadosa da prose original. O fotógrafo Wilhelm Von Gloeden, especialista em clássicos que trabalham a temática da erótica gay, fez uma alusão bíblica ao seu personagem: “Caim”.  Seguidor de Gloeden, Gaetano D’Agata, produziu sua própria versão também.
Daí, segue uma série de outros quadros inspirados na obra de Flandrin, até os nossos dias.
Ebony and Ivory (1897), de Fred Holland Day
L’Apocalypse, de Pierre Yves Trémois (1961)
Ajitto, dr Robert Mapplethorpe  (1981)
L’Homme de l’Apocalypse, de Pierre Yves Trémois (1998)
Fallen Angel (2004)
Anúncios

0 Responses to “A evolução de um ícone*”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.


%d blogueiros gostam disto: